segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Rio de paz


O Rio de Janeiro continua lindo, já canta nosso querido Gilberto Gil.
Porém, essa semana o som tão conhecido do mar se misturou com o barulho de metralhadoras e fuzis. Cariocas dividiram espaço com policiais e bandidos. Assistimos ao vivo pela televisão um filme real de perseguição policial e, perplexos, torcemos para que tenha de fato um final feliz e de paz.

Essa guerra previsível tornou o Brasil ainda mais solidário, fazendo pulsar um único coração ... o da Pátria.
Paulistas, mineiros, gaúchos, baianos e todos os brasileiros se vestiram de verde e amarelo pra rezar por essa cidade linda, mas doente. Um Rio belo de cicatrizes mal curadas. Um Rio cuja população nunca abandona, porque tem orgulho de ser carioca!

O Cristo continua lá, de braços abertos, olhando do alto e abençoando cada pedacinho do paraíso sofrido, saudando todos e renovando a cada dia uma esperança, mesmo quando essa nos parece nula.
E eu desejo que essa paz, que surge timidamente como uma pequenina luz no fim do tunel, seja eterna e marque o início de uma nova história para os cariosas. Um desejo que pode parecer utópico, mas que nunca ficou tão próximo de uma realidade ... 

O Rio de Janeiro continua lindo, e assim será por muitos e muitos anos.




quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Velha infância

Uma das melhores coisas de se ter 31 anos hoje é o privilégio de ter vivido a infância nos anos 80! Tudo era tão mais legal ...
Fico vendo as crianças de hoje e dia (papo de velha mesmo!) e sinto uma certa "peninha" dessa geração high tech. É tanta tecnologia e informação, que a pirralhada está perdendo aquela essência e a inocência tão únicas da infância. Sem falar nos relacionamentos interpessoais, que estão se tornando cada vez mais raros, e cada vez mais cedo.


Bom mesmo era brincar na rua e chegar imunda em casa! Lembro que quando eu entrava pela porta, minha mãe já chagava falando "Pro banheiro agora! E é pra tomar banho DE BUCHA!"!
Queimada, rouba bandeira, esconde-esconde, mana-mula ... na minha rua eram tantas crianças que a vizinhança ficava louca! Vez ou outra alguém tinha que bater na porta do vizinho pra pedir a bola que caiu no quintal ... e às vezes torcer pro cachorro não ter destruído ela toda! Quando isso acontecia, a brincadeira acabava! Mas nós sempre inventávamos outra (sem bola) pra substituir!
De vez em quando alguém se ralava todo, mas essa só passar merthiolate que sarava ... E ARDIA PRA C ........!!!!!
Quando estava chovendo, a brincadeira continuava dentro de casa. Os meninos criavam um mundo fantástico com playmobil e nós, meninas, viajávamos no mundo mágico e cor-de-rosa da Barbie! Não vejo mais as meninas brincando de Barbie como eu brincava ... usava a casa inteira e transformava o jardim em floresta, a pia em piscina, o pedal da bicicleta em elevador! A imaginação não tinha limite! Hoje em dia as meninas querem ter uma Barbie apenas pra pentear o cabelo. Nunca mais vi uma simulação de dialogo entre duas bonecas ... nem festas de gala ou reunião com as "amigas" na piscina! O computador pensa por elas, e a imaginação e criatividade são substituídas por programas prontos. Geralmente as meninas brincam com a boneca por 3 dias e depois a esquecem.
Brincar de casinha era sempre muito divertido, e a melhor parte era fazer "comidinhas" com matos e florzinhas! Lembro de ir (e fazer) a muitos batizados de boneca, fui até "madrinha" de algumas! Tinha suco, refrigerante, sanduiches de pão de forma ... tudo carinhosamente e cuidadosamente preparados pelas nossas mães, que alimentavam essa fantasia que eu considero tão importante nessa fase.
Eu acreditava em Papai Noel, coelho da Páscoa e fada do dente, e não virei uma adulta revoltada e traumatizada quando descobri que não existiam! Quando tiver um filho, quero que ele acredite também ... mas acho que vai ser um pouco difícil, já que na própria escola os amiguinhos das mesma idade desmentem a história. Isso sim é traumatizante, descobrir sozinha não é o problema!
As festas de aniversário não eram em buffets infantis e nem tinham brinquedos eletrônicos. Nós juntávamos a galerinha pra brincar de qualquer coisa, ou então colocávamos um disco de vinil pra tocar e passávamos a festa inteira dançando ... e os meninos olhando. Outro dia eu estava reclamando que na minha época não tinha esses brinquedos legais ... mas pensando melhor, ainda bem!
E pra não dizer que não brincávamos de video game, na época surgiu o Atari! A febre da garotada! Mas até o nosso video game não era de todo sedentarismo! Joguinho de corrida naquela coisa era quase uma aula de musculação! Acho que a tendinite que eu tenho hoje se deve a algumas horinhas de diversão.
Tá bom. Vocês vão me dizer que agora tem o Wii ... não dá pra competir, claro! Mas jogar Atari com aqueles gráficos horrorosos era demais! E o mais legal ainda era que ía todo mundo na casa de alguém pra jogar! As mães faziam pipoca e levavam refrigerante, e o jogo virava uma grande festa! Diferente de hoje em dia, que cada um tem o seu console e joga sozinho na sua casa. Ou acessa a internet e compete friamente com outra criança que está em algum lugar do mundo, que atende por um apelido qualquer.
Nossa infância durava até uns 13 anos! Hoje, não sei ...
Devíamos fazê-la durar cada vez mais porque, pra ser adulto, temos a vida inteira!

(a menina com cara de terrível na foto sou eu, aos 3 anos)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Afinal, o que querem os homens?

Muito se fala a respeito da complexidade da cabeça feminina, mas os homens nunca param pra pensar no quão complexos eles também são! 
Quando temos beleza, eles querem conteúdo. Quando temos conteúdo, eles querem peito. Quando temos peito, eles querem bunda. Quando temos bunda, eles querem qualquer outra coisa!
Se nos arrumamos pra sair somos peruas, se não, somos largadas. Se demonstramos o nosso sentimento somos grudentas, mas se guardamos para nós ... somos frias. 
Quando queremos ser santas eles nos querem vadias, quando somos vadias nos querem santas!
Se recebemos uma cantada é porque demos motivo, mas se não recebemos nenhuma é porque somos "barangas"!
Afinal, o que querem os homens?
Porque nós também temos o direito de protestar! 

domingo, 21 de novembro de 2010

Amar engorda

Você se acaba na academia pra ter um corpão e leva uma vida de faquir pra manter a silhueta, abre mão do chocolate e passa longe dos fast-foods, se entope de mato no almoço a ponto de se sentir uma vaca no pasto e ... voilá! Está preparadíssima para encontrar a sua cara metade e ser feliz pra sempre!
Então, de-repente, você cruza com o amor da sua vida! Ele te acha linda dentro daquele vestido maravilhoso e você, se sentindo poderosa, usa todas as armas de sedução para fisgar o cara.
A paixão toma conta da sua vida, mas bastam alguns meses pro seu manequim pular do 36 pro 40, do 38 pro 42 e aí por diante. E não é só a mulher que sofre as consequencias! A barriga de tanquinho do gentlemen também já não é mais tão tanquinho assim!
Como tudo o que é bom engorda, por que o amor seria diferente?
Quando estamos namorando, os programas sempre incluem um exagero gastronômico! Restaurante japonês, italiano, argentino ... tem sempre algo bem "light" na programação! Quando não queremos demorar muito, um fast-food resolve o problema ... e o sorvetinho depois do lanche é parte fundamental. Cinema sem o combo (com direito a refil) não é cinema! E até quando resolvemos ficar em casa, sempre pedimos uma pizza ou algo do gênero.
WTF???
O bom dessa coisa toda é que engordamos os dois juntos, que romântico! E depois de um tempo de namoro, começamos a sair com outros casais de amigos pra comer e engordamos todos juntos, unidos! É quase um clube de engorda!!! A solidariedade é comovente! Dá até gosto de ver!
Sim, meus amigos. Amar é bom demais, mas engorda!
Porém, eu não faço questão nenhuma voltar a usar aquela calça de anos atrás se, para isso, tiver que viver longe do meu amor!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Eu também gosto de Harry Potter!

Nove  anos se passaram desde que o primeiro filme da saga bombou nas telinhas! Nem parece que já faz tanto tempo! Ainda me lembro do dia em que peguei o primeiro livro emprestado de um pirralhinho (hoje um homem maior que eu ... tá, não precisa de muita coisa pra ser mais alto do que essa que vos escreve!), sem compromisso, só pra suprir o meu prazer de ler. O bruxinho ainda nem era tão famoso e pouco se falava sobre a história. Comecei a leitura despretensiosa e, quando dei por mim, não conseguia parar mais!
Minha irmã, que "pegou gosto" pela leitura graças às mãos mágicas de J.K.Rowling, foi ontem à pré-estréia do penúltimo filme!
Eu não curto essa coisa de marcar presença nos primeiros dias ... imaginem só tentar prestar a atenção no filme enquanto as adolescentes histéricas gritam cada vez que o Dan Radcliffe (ou parte dele) aparece na tela! Ah não ... vou esperar passar a euforia inicial pra poder ir ao cinema assistir quietinha, comendo a minha pipoca com muuuuita manteiga!


video

Fã número 1

Quem assistou ao programa da Ana Maria Braga hoje pela manhã vai saber do que eu estou falando.
Fiquei emocionda com a paixão que o Zeca Camargo falava do Paul McCartney! Aquela paixão de fã, sabe? Eufórico, ele contou sobre a entrevista que fez com o gigante do rock! Conseguir 20 minutos de bate papo com o ídolo não é pra qualquer um! E até o Zeca, que está acostumado a entrevistar varias celebridades internacionais, "tremeu na base". Os ídolos também têm seus ídolos!
Se fosse eu, acho que perderia a voz!
Mas tudo é válido quando se trata de ídolos! 


Quando eu era criança, meu ídolo era a Xuxa! Me lembro de ir a todos os shows que ela fazia aqui em Santos, até que um dia convenci a minha mãe a  me levar para o Rio para participar da gravação do programa.
Foi realmente inesquecível!
Levei uma "faixa" onde estava escrito "Minha fada madrinha", e um chapeu de palha enfeitado com flores naturais! Na hora que eu estava frente a frente com a minha "rainha", não emiti um único som. Somente a abracei. Nem mesmo um "beijo pra minha mãe, pro meu pai e pra você!". Nem isso ... pra frustração da minha mãe e de toda a galera do colégio! Mas aquele foi o meu momento. E ficou guardado comigo pra sempre (vou ficar devendo a foto). 
Naquela época meu sonho era ser paquita só pra ficar perto da Xuxa! O único problema é que eu precisava dividir o mesmo sonho com milhares de outras meninas! Devia ser meio ridículo aquele bando de meninas cantando e dançando as músicas das paquitas nas festas de aniversário .. meu passado me condena. Sério.
Não sei dizer se hoje eu tenho um ídolo ... sou fã de alguns artistas, mas não sei se chega a ser exatamente uma "adoração", prefiro classificar como admiração! São músicos, atores, escritores, estilistas, e cada um tem o seu mérito e o seu valor! 
Não perco um show do U2, adoro as crônicas do Arnaldo Jabor, me inspiro em Coco Chanel ... talentos tão diferentes entre si,  mas que se completam em mim. Revelam a minha personalidade, ou talvez pouco dela. Pra isso existem tantas "opções no mercado"! Ninguém é igual a ninguém, e respeitar o gosto do outro é um exercício de democracia que, infelizmente, foi esquecido por muitos! Liberdade de expressão, "saca"? 
Quanto ao Paul, o McCartney, esse sim é quase unanimidade! Não é ídolo, é ícone! E vai fazer um dos melhores shows de todos os tempos! 
LET IT BE!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A parte de trás

Por que homem gosta tanto de bunda?
Sério! É só observar as criaturas nas ruas. Eles viram o pescoço de um jeito que, se fosse eu, já estava usando um colar cervical.
O que tem de tão interessante lá? Algumas vezes a bunda nem está tão em evidência, mas a super visão de raio X desses seres é admirável!
Eu, por exemplo, evito subir escada se tiver algum homem atrás de mim. Cordialmente, peço pra ele passar à frente. Só que nem sempre eles entendem o recado (ou entendem ... santa ingenuidade a minha!). E sempre que eu subo na frente, tenho aquela sensação de que ele está olhando pra minha bunda. O pior é que a teoria foi comprovada por um amigo ... ele sempre vai estar olhando.
Fato.

140 CARACTERES

A onda do twitter invadiu a rede como um tsunami!
Milhares de pessoas postam diariamente sobre uma infinidade de assuntos, e o mini blog cresce a cada dia.
Como não poderia deixar de ser eu também aderi à moda, mas confesso que é um desafio complicado para mim! Eu falo demais, escrevo demais, descrevo demais! Como resumir em 140 caracteres algum assunto que, vindo de mim, teria no mínimo uns 1040?
Haja vista minha timeline tão pobrezinha ...
Resolvi então testar a minha habilidade e resumir três assuntos ... o resultado desse auto-desafio segue abaixo!


O mundo em 140 caracteres:
Redondo, cheio de pessoas, água e animais.
(consegui com 44!!!)

O Brasil em 140 caracteres
Na visão de um gringo ... samba, futebol, mulher pelada e macaco! Na minha ... pátria amada Brasil!
(99 ... tá aumentando!)

Felicidade em 140 caracteres
Estar com as pessoas que eu amo!
(32! essa foi muito fácil!)


Até que eu não me saí tão mal ...
Alguma sugestão de assunto?
E pra quem, mesmo depois de tanta propaganda negativa, ainda tem algum interesse em seguir o meu twitter, clique aqui.



quarta-feira, 17 de novembro de 2010

My sweet 30!

Post balzaquiano no blog Fashionismo!
Vale a pena a visita!


Realeza

Em um mundo tão cheio de violência e desastres naturais, as pessoas pararam pra assistir um conto de fadas real: o príncipe Willian da Inglaterra pediu a sua amada Kate Middleton em casamento! Não se fala em outra coisa desde ontem.
Embora eu já tenha passado da idade de querer ser princesa, por um momento tirei os pés do chão e me imaginei no lugar dela! Lembrei da minha infância e de como eu gostava de fingir que ía para uma festa em uma carruagem levada por cavalos brancos ... bem Cinderela mesmo, sabe?
Claro que somente sem os pés no chão a gente enxerga com os olhos da fantasia! Na realidade, ser princesa não deve ser nada fácil. Compromissos reais, etiquetas, vida exposta ao extremo, ter que dar satisfação até da cor da sua calcinha (se por algum descuido você mostrar uma calcinha vermelha por baixo do vestido comportado). Sem falar que, sejamos realistas, a vida a dois requer um exercício diário de paciência, companheirismo, respeito e amor. E isso vale pra qualquer um! Princesa ou plebéia!
Honestamente, estou muito feliz onde estou! Eu e o meu lindo príncipe de calça jeans!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Roupa Nova

Tô feliz da vida com o meu blog!!! Mas ele precisa de uma roupinha nova e exclusiva ...
(indireta para o noivo mais geek do mundo!!!)

Doce mundo balzaquiano!

De-repente 30! No meu caso, já estou com 31 ... e nunca me senti tão bem!

Não sei se é fato ou só um estado e espírito, mas hoje me sinto mais bonita do que aos 20, mais inteligente do que aos 20 e mais determinada do que aos 20!

Cheguei aos 30 sem todos os traumas que imaginava existir nesse processo de transição! Foi tão natural e sem grandes conseqüências, que simplesmente aconteceu! Dormi com 29 anos e, no dia 08 de Junho de 2009, acordei BALZAQUIANA. Com muito orgulho.

Pra ser sincera, estou vivendo uma fase incrível da minha vida! Não me importo com o que os outros pensam e não me sinto a Gisele Bundchen só porque levei uma cantada qualquer. Passei a dar mais valor ao conteúdo do que a embalagem e descobri que meus erros são inevitáveis e me ajudam a melhorar, ou não!

A balzaquidade traz junto com ela um pacote de vantagens! Amadurecimento, confiança e sensatez.

Passei a gostar de mim de verdade ... acho até que eu seria capaz de namorar comigo mesma! Sério mesmo! E não tem nada a ver com egocentrismo ... descobri que, para mim, a melhor pessoa que existe no mundo sou eu! E não me importa que eu não seja para os outros ... desde que seja para mim.

E esse fato de me achar a melhor pessoa no mundo não é porque eu me ache perfeita! Não mesmo! Eu me amo com todos os meus defeitos e implicâncias que, cá entre nós, não são poucos. Às vezes eu mesma me irrito com minhas manias, chatices e afins. Fico com raiva de mim por ser tão tola e teimosa! Mas, e daí? Essa sou eu! Aos 31 anos ... Gêmeos com ascendente em Libra! Teimosa, indecisa e geniosa. Mas eu amo mesmo assim!